mas enfim, a primeira neve.

Esse fim de semana nos mudamos para a casa da nossa coloc ao mesmo tempo que fechamos o ciclo do primeiro mês no Quebec e completamos 9 anos de relacionamento.
Ontem o dia passou devagar, meio que arrastado. Organizamos nosso quarto temporário, almoçamos todos juntos, joguei “uno” com o filhinho de 6 anos da minha coloc e depois todos fomos jantar fora.
Hoje o dia amanheceu estranho. Mais uma vez eu abri os olhos e dei de cara com um ambiente novo. Já faz praticamente 5 meses que não temos uma casa para chamar de nossa…um cantinho definitivo. Por um mês eu morei em uma república, no mês seguinte morei em outra, 20 dias em Fortaleza me dividindo entre a casa da minha mãe e da mãe do Wes, mais um mês em um apartamento temporário logo que chegamos aqui e agora um quarto temporário na casa da nossa coloc que também é algo temporário. Não tem como não sentir um aperto estranho no peito, afinal, já estou com 26 anos, minha família me cobra estabilidade, ainda não terminei minha graduação e estou começando do zero mais uma vez.
Enfim, eis que sou a primeira a me levantar, faço meu café da manhã, me arrumo para ir ao curso de francês, o resto da galera também desperta e começa a conversa, um toma banho, o outro faz o café e o Wesley olha pelo vidro da porta da cozinha achando a chuva estranha, caindo devagar, de forma desregulada e a nossa coloc chama todo mundo pra ver porque não é chuva e sim, neve… caindo fraquinha, leve como um isopor, branquinha, lindinha e eu passei alguns segundo olhando meio sem acreditar, meio bestificada e a pressa para ver isso do lado de fora do apartamento começou a aumentar e me apressei pra ir pegar meu ônibus. Na parada eu tentei fotografar e filmar, mas sem sucesso em alimentar a síndrome de compartilhar a vida via facebook. Meus amigos tiveram que acreditar na minha palavra momentaneamente. Chegando no curso, o cenário já era outro, o chão já estava branquinho, as árvores cobertas e a neve caindo mais forte. Foi lindo o sentimento que passou dentro do meu coração de que apesar de todas as coisas, naquele momento, eu realizei um sonho. E é tão gratificante ver um sonho virando realidade… não digo só pela neve, digo por tudo, pela experiência, pela oportunidade, pela vida nova que se inicia.

gelo

Tudo lindo, tudo novo e tudo tenso também, porque quando saí do curso eu passei pelo meu primeiro perrengue com a pouca neve que caiu. Mas isso é história para outro post.

Anúncios

3 comentários sobre “mas enfim, a primeira neve.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s