Por onde andei?

Mesmo longe do blog a internet não me larga. Eu posso não estar postando com uma freqüência digna, mas todos os dias estou dando uma olhada breve ou aprofundada no instagram, youtube, facebook, pinterest, snapchat e em outros blogs. É um vício, uma coisa que não me larga e que eu gostaria, sinceramente, de não ser tão dependente.
De toda maneira, participar de uma coisinha aqui e outra ali, me deixa bem contente pois me faz relembrar a época em que eu tinha um bloquinho de mulherzinha lá pelo ano de 2008, o finado “Uma Aspone Qualquer”, que se alguém procurar não vai achar nada além de algumas referências, pois eu cancelei e apaguei o bixim sem do nem piedade.
Ultimamente o que tem me ligado mais e mais ao mundo do youtube é o fato de eu ter uma amiga que tem um canal muito fofo e cuidado com todo carinho, a Anndreza Verissimo. Vez ou outra eu estou ajudando ela a gravar vídeos, tirar fotos, indicando referências, conteúdos e tudo mais que eu puder ajudar.
Vou deixar linkado aqui alguns vídeos que fiz participações especiais, para quem desejar dar uma voz aos textos que já escrevi aqui.







Tô praticamente uma youtuber!!!

Anúncios

#tag: Morando Fora – Québec/Canada

Fiz um vídeo para responder a tag “Morando Fora” que vi no blog da Taís que mora na Irlanda. Mesmo com vergonha/preguiça/outras coisas para gravar vídeos, consegui tirar as teias de aranha do canal e dar uma movimentadinha.

Essas são as perguntas da tag:
1. Nome 2. Em que país e cidade você mora? 3. Mora sozinho ou com sua família? 4. Há quanto tempo reside aí? 5. Já morou em algum outro país? Qual? 6. Qual sua idade? 7. Como surgiu a ideia de morar no exterior? 8. Foi difícil conseguir o visto de residência? 9. Qual pior situação você já passou aí? 10. Fale um ponto turístico que você gosta. Fale um pouco sobre ele 11. Você fala a língua local? Acha que é importante aprender? 12. O que pensa do país que você mora? Ele recebe bem os brasileiros? 13. Sente muita falta da família? De que produtos brasileiros sente mais falta? 14. Quais seus planos para o futuro? Pretende morar aí pra sempre? 15. O que tem no país que você mora, que você usa no dia dia e acha que deveria ser implantado no Brasil? 16. Qual sugestão ou dica que você daria para quem gostaria de viver nesse país? 17. Se você pudesse descrever em uma palavra a experiência que está vivendo nesse país, qual seria?

Gostei muito de responder essa TAG e se alguém tiver sugestões de vídeos ou alguma curiosidade sobre como é a vida aqui, pode deixar nos comentários que assim que possível eu respondo.
Beeeijos e inteh mais!!!

Resumo da semana: tatuagens, cabane a sucre, cansaço

Sábado passado foi um dia beeeem incomum para mim. O inicio do dia foi como normalmente sempre é: me dei o direito de acordar tarde, arrumei a casa e coloquei a roupa para lavar. Quando tudo isso terminou eu fui para internet, fiquei olhando minha pasta de inspirações para tatuagens e decidi ligar para um estudio que me indicaram para me informar como funciona aqui. Liguei, me disseram para dar uma passada por lá para olharem os desenhos e fazerem um orçamento. Fui. Chegando lá o tatuador olhou e disse: “Aqui cobramos por hora, minha hora custa x, devo fazer os 3 desenhos se você quiser em uma hora e estou com horario livre agora? quer fazer?”. Meus olhos saltaram e disse que queria. Fazia anos que adiava as minhas tattoos pelos mais diversos motivos. Uma hora era grana, outra hora era tempo, outra hora era o peso (sim, o peso) e eu nunca fazia. Dessa vez eu estava com tempo, dinheiro e sobre o peso não iremos falar rsrsrsrs.
Fiquei muito feliz e empolgada, tão feliz e empolgada que acabei nao prestando atenção em detalhes importantes. Fiz 3 tatuagens, uma no ombro, uma no braço e uma no pulso. A intenção dos 3 desenhos é que fossem pequenos e delicados, dois dos desenhos eram para ser feitos exatamente como as imagens que eu levei, um dos desenhos era para fazer baseado. No meio da empolgação, da excitação, da felicidade e do francês falho ocorreu um problema de comunicação em relação a tatuagem do pulso. Bem, eu queria tatuar uma pequena tulipa, com traços finos e apenas o contorno dela em preto. Desenhei para o tatuador mais ou menos o tamanho que eu queria e onde eu queria, mas o tatuador fez a versão dele maior e eu não prestei atenção nisso. Mostrei onde queria e na hora da tatuar eu posicionei o braço incorretamente e a tatuador também não me disse nada… não me disse que da forma como eu posicionei o braço, na hora que eu ficasse em uma posição normal a tatuagem ficaria um pouco deslocada… isso eu fiquei muito chateada, como é que eu ia saber? Lembro que quando o meu esposo fez a dele no Brasil e mostrou onde queria, o tatuador disse que era melhor descer um pouco o desenho senão ia ficar meio torto e etc… enfim, explicou que ali não daria certo para o efeito que meu esposo queria. E por ultimo ele me convenceu a pintar, dizendo que ficaria mais bonita e eu fui na dele (╯︵╰,).
Na hora eu não tinha percebido nada disso, eu estava excitada demais, explicar algumas coisas em francês ainda é difícil para mim e permiti falhas na comunicação. Eu só queria fazer os 3 desenhos que eu esperei por tanto tempo.
Quando vi o resultado final, olhei e pensei: “Não era bem isso que eu tinha em mente”. Meu esposo disse que estavam lindas as 3 tattoos e então eu relaxei, afinal, esse desenho, entre os 3, é o que mais tem um significado para mim. A questão agora era me acostumar com a idéia de que não tinha saído como eu imaginava.
Enfim, continuei curtindo a felicidade de ter feito os 3 desenhos até que mandei uma foto para uma pessoa muito importante para mim. Sabe quando a opinião de uma pessoa muito importante para você pode mudar a forma como você vê as coisas? Pois é, mandei a foto e a resposta foi que o desenho tinha ficado feio, que o tatuador não sabia desenhar… etc, etc. De lá para ca estou em uma onda de olhar pra tatuagem e não pensar mais no significado dela, só penso que ela não foi executada da maneira como eu queria e que uma pessoa importante para mim acha o desenho feio ಥ_ಥ.
Arrependida? Não sei… afinal arrependimento é um estado meu, sempre me arrependo de muita coisa do que falo, do que penso, do que faço. Eu estou com um sentimento estranho, afinal aquele desenho vai estar no meu corpo para sempre, não é algo que eu simplesmente possa apagar. Não sei se é apenas o tempo de eu me acostumar ou o que. A tatto é essa da foto abaixo.

tattotulipa

Saindo de assuntos * polêmicos* e indo para assuntos comilisticos. Sábado passado cometi o pecado da gula, tenho certeza. Almocei em um pequeno restaurante Libanês e de noite fui para uma reunião de queijos e vinhos na casa de uns amigos. Por volta da meia noite a reunião ja tinha virado de “quinhos e veijos” e foi uma delícia. Fiquei alegre logo e esqueci de convencer o pessoal a jogar imagem e ação comigo… kuen kuen kuen, fica para a próxima então.

comidadealgumcanto

vinhosequeijos

Do fim de semana passado para esse nevou bastante. Teve neve forte, teve neve fraca, e teve floquinhos de neve lindos no meu cabelo também.

flocosnocabelo

As semanas ultimamente estão passando cada vez mais devagar e o fim de semana cada vez mais rápido. A temperatura fica só brincando que vai aumentar, mas um dia amanhece frio, no outro mais frio ainda, depois finge que vai dar uma melhorada. Estou cansada. Cansada dessa rotina de casaco pesado todo dia, de ter que calçar bota pesada, de sair de casa ainda escuro. Mas estou feliz que está anoitecendo cada vez mais tarde e que logo logo a real primavera vai dar as caras. Espero muito trocar esse cansaço do inverno pelo cansaço badalado do verão.

ceuazulazulazulzim

ceuazulzim

Ultimamente tenho pensado muito na minha rotina. Não me sobra tempo para fazer coisas prazeirosas, para descobrir coisas prazeirosas, para eu encontrar um hobby para chamar de meu. Queria muito ter um dia livre apenas para mim, para pintar as unhas com calma, ler um livro, fazer alguma coisa nova. O fim de semana passa tão rápido. Principalmente se eu saio no sábado, por exemplo. É como se tivesse acabado meu fim de semana pois o domingo é dia de cozinhar, fazer as compras e etc… e é um dia que na verdade funciona como metade de um dia.
Sair de casa as 6:00 para ir para a academia e nesse meio tempo ter só 30 min para sentar até por volta das 20:00 é tão exaustivo. Nem quando eu morava em Sorocaba que passava o dia no trabalho, depois ia dar aula de monitoria na faculdade, depois ia para minha aula e chegava em casa as 23:00 eu me sentia tão cansada como venho me sentindo ultimamente. No tempo livre que me sobra eu tenho que escolher entre estudar francês, tentar me dedicar a uma coisa nova ou descansar. É obvio que meu corpo escolhe descansar.

Ontem fomos para uma Cabane à Sucre, a mesma que fomos no ano passado e a qual falei nesse post AQUI. Dessa vez não vou postar fotos do lugar, até mesmo porque eu não tirei fotos, mas fiz um videozinho tosco do caminho de ida e volta e um pouquinho da neve. Com ele eu tirei as teias de aranha do meu falido canal no youtube.

E é isso gente. Agora estou criando coragem para gravar uma TAG “Morando fora” que vi no blog da Taís. Os videozinhos da cidade eu vou ficar publicando sempre que der. Sempre tem algum no meu Instagram.
Beeeijos e inteh mais!!!

primeira cabane a sucre e vídeo novo no youtube

Oi galereeee. Finalmente um post com fotos.
Ontem eu fui com o Wesley para a nossa primeira cabane a sucre, que é um local onde as pessoas vão para comer comidas (dãaaaa!), porém tudo tem como ingrediente o sirop d’érable. Ovo, torta de carne, salsicha, feijão, presunto, batata e outras coisas mais, tudo meio adocicado graças ao sirop.
Dia 20 de março começou oficialmente a primavera aqui, e com isso as cabanas a sucre abriram as portas. Teoricamente era para o frio ter ido embora, a neve também, mas aqui as temperaturas ainda estão negativas e ainda neva bastante. Toda dia eu acordo esperando que o clima esteja melhor pois é muito cansativo conviver com o frio intenso por longos meses. Uma hora a pessoa já está de saco cheio de ter que usar tanto casaco, botas de neve e etc.
Enfim, como já estou aqui a algum tempo, eu não estranhei tanto assim o gosto do sirop na comida e posso dizer que aproveitei bastante, com exceção de duas sobremesas que estavam tão doces, mas tão doces que eu deve ter adquirido umas 3 cáries instantaneamente.

20140322_142600

DSC_0046

20140322_142102

20140322_143504
DSC_0020

DSC_0024

DSC_0028

DSC_0031

DSC_0033

DSC_0034

Levei a camera toda empolgada achando que ia tirar várias fotos, mas como nevou bastante, eu fiquei meio medrosa de ficar fotografando com a neve caindo e derretendo na minha little monster.

Ah, mudando de assunto: semana passada eu publiquei mais um vídeo no canal, porém não divulguei aqui. Nesse vídeo eu falo um pouco sobre as minhas experiências quando eu precisei trocar ou devolver produtos nas lojas aqui do Québec.