Mais uma semana

171596497

E o boato que rola é que a embaixada do Canadá está mesmo de greve. Estou para ter uma úlcera de tão nervosa e fico pensando nas pessoas que aplicam o visto pra residencia permanente no qual todo o processo chega a demorar 3 ou 4 anos … esse povo tem que ter o estômago de adamantinum porque não é fácil “parar a vida” esperando a chegada do tão esperado visto. Eu digo “Parar a Vida” pois no momento em que decidimos entrar nesse barco, tudo gira em torno disso: planos do futuro, finanças, conversas, compras…TUDO!!!
Acho bem engraçado pois estou me sentindo uma grávida de Canadá. Esse fim de semana a Cicilia estava falando que quando a pessoa está grávida passa a encontrar mais mulheres na mesma situação por aí pois passa a prestar mais atenção e ela que está de 7 meses só tem visto mamães por aí ultimamente. Eu, por minha vez, só vejo Canadá… as vezes tô sem pensar no assunto e escuto uma reportagem sobre o país na televisão, ou vejo por acaso uma matéria na internet, ou passa uma cena em uma série ou filme, ou algum amigo de um amigo está voltando de férias… ou seja, estou sendo perseguida por esse assunto e não consigo me desligar e isso piora ainda mais pois e espera parece maior na nossa atual situação de “sem casa” e sem nossa rotina como era antes de o Wesley ir morar em Osasco e eu ficar aqui em Sorocaba.

Sobre o fim de semana: foi bem boring. Na sexta de noite o Wes foi extrair os sisos e por isso ficou bem downzinho o fds inteiro e eu também fiquei meio desanimada pelo fato de ainda não ter me recuperado completamente dessa gripe eterna. O proveitoso foi que ontem os meninos terminaram de montar o quatinho do Ravel que ficou a coisa maaaaaar linda da tia… rsrsrs.

E o status atual é:
♥ Não sabemos se o visto vai demorar 1, 2 ou 3 meses para sair;
♥ Temos que cancelar as passagens que já havíamos comprado pra Fortalcity. Não dá para remarcar pois não temos mais idéia de quando seremos chamados para fazer os exames médicos;
♥ Ainda não conseguimos também uma coloc para ficar em Quebec;
♥ Já entrei em contato com algumas amigas de infância para marcar uma despedida com bastante antecedência;
♥ No estágio eu já avisei que só fico até o dia 16/ago e o Wesley já informou no trabalho que vai sair, só não sabe quando ( pois realmente não sabemos);
♥ Já tenho um encontro marcado com uma pessoa querida dia 10/ago que vem aqui em SP só para se despedir de mim – tô podendo;
♥ Pedi para minha irmã comprar umas boininhas de lã pra mim pois quero chegar em Quebec bem clichê.

E é assim que minha semana começa: sem certeza de nada.
Mas vamo que vamo!!! Deve estar mais perto que longe, não é possível.

Anúncios

Últimos dias

Dia 25 desse mês vai fazer dois anos que estamos morando em SP e também será nossa última noite no ap daqui de Sorocaba. Muito interessante o fato de que dois anos depois, estaremos da mesma forma que quando chegamos: sem nada em casa, apenas com um colchão inflável.
A venda dos móveis bombou na última semana e vendemos praticamente TUDO que anunciamos, com exceção de alguns livros apenas. Foi com muita barganha? Sim, mas pelo menos conseguimos levantar uma grana razoável.
Estou com o coração bem apertado, não tenho como negar. Fico pensando como será minha vida daqui a 3 meses…quando terei novamente uma cama para chamar de minha… Fico olhando a planilha de $$ para a imigração, fazendo contas de quanto ainda podemos levantar, onde podemos economizar e se vamos conseguir fechar com o valor planejado.
Daí vou pra internet, fico olhando blogs de imigrantes, leio as notícias na comunidade Brasil – Quebec no facebook, procuro apartamentos ou colocs para alugar, daí faço mais contas, mais contas e mais contas. Nesse momento é extremamente difícil lidar com dinheiro e eu que já sou mão de vaca então… tô contaminando até meu esposo.

Quando viemos de fortalcity para cá nós praticamente não tínhamos $$ guardado e o que conseguimos levantar deu apenas para pagar o aluguel aqui + transportar o carro e alguns móveis. Foi meio difícil no início, mas nada tão desesperador e nos adaptamos bem rapidinho, tanto que eu adoro a cidade e não imaginava que iria embora daqui tão cedo. Mas la já vai ser outra história, né? Um lugar de cultura diferente, com moeda diferente, língua diferente…vai ser uma mega adaptação.

E essa semana que se inicia vai ser super diferente pra mim e pro Wes. Vou pra república, ele vai para a casa do primo… Vamos vivenciar a expectativa do que ainda está por vir separados um do outro. Provavelmente quando a AMT liberar nossa autorização não poderemos comemorar com um abraço no mesmo dia… Mas vamo que vamo…é um risco pela vida nova e oportunidade que tanto sonhamos.

Raquel Andrade